Mídia - Notícias

floresta

Drones contribuem para monitoramento de florestas

A Fibria vem utilizando a tecnologia aplicada ao campo como uma aliada para um melhor monitoramento das florestas do Programa Poupança Florestal. Após adotar o uso do drone, a empresa melhorou os registros fotográficos e está conseguindo identificar com maior facilidade a condição e o desenvolvimento das florestas para tomada de decisão em caso de anomalias.

 

“Os drones proporcionam uma melhor visão dafloresta, possibilitando que sejam identificados danos do alto que talvez não poderiam ser observados nas vistorias por terra”, destaca o Coordenador de Colheita e Poupança Florestal da Bahia, Alisson Carlos da Silva.

 

Os equipamentos começaram a ser utilizados no primeiro semestre deste ano, após um período de testes. Foram adquiridos dois drones, um usado no monitoramento das áreas localizadas na Bahia e
outro no Espírito Santo.

 

Controlado remotamente, o equipamento tem um alcance de 500 metros de altura e um raio de abrangência de 1 quilômetro. Durante o trabalho de registro fotográfico dos plantios, é possível verificar problemas como ataque de pragas e doenças, incêndios, tombamentos, falhas no plantio, mortalidade das árvores, vento, dentre outros. É possível ainda realizar medição de área e emitir laudos de recomendação com mais assertividade nos casos de problemas nas florestas.

 

Atualmente, o equipamento está sendo utilizado de forma direcionada, como, por exemplo, para avaliação de monitoramento do TAC (Termo de Ajuste de Conduta). Dentre os resultados já alcançados, Alisson cita a avaliação do Projeto de Recomposição de Área Degradada ou Alterada (PRADA). Este trabalho visa qualificar e quantificar como está a qualidade do processo de restauração florestal nas propriedades do Programa Poupança Florestal.