Mídia - Notícias

fogo

“Onde há fumaça, há fogo”

O conhecido dito popular que dá título a esse texto tem que ser levado a sério quando o assunto são os incêndios florestais. Se não controlada em tempo, uma pequena faísca pode devastar em pouco tempo florestas cultivadas há anos. Além de prejuízo financeiro, o fogo é uma ameaça à vida de espécies animais e vegetais, polui o ar e prejudica a fertilidade do solo. “É preciso estar atento ao primeiro sinal e respeitar a máxima de que onde há fumaça, há fogo”, orienta Edmilson Bitti, coordenador de Proteção Florestal Corporativa da Fibria.

 

Ele destaca que, mesmo com todo o cuidado e prevenção, os produtores rurais devem estar preparados para combater incêndios em suas propriedades. “É importante que, assim que identificar um foco, o produtor atue de imediato com os recursos disponíveis e peça apoio à sua rede de contatos”, disse ele. Ter uma rede de contatos envolvendo os vizinhos e comunidades próximas é muito importante na hora de buscar ajuda, pois o trabalho em mutirão é mais eficaz para controlar o fogo.

 

O professor Nilton Fiedler, titular do Departamento de Ciências Florestais e da Madeira do Centro de Ciências Agrárias e Engenharias da Ufes, explica que o fogo é um fenômeno físico à disposição do homem, mas seu uso precisa ser feito de forma correta e controlada, sobretudo no período seco. “Dependendo das condições do vento e da falta de umidade, perde-se rapidamente o controle de um foco, podendo resultar num grande incêndio”, salienta.

 

A Fibria dispõe de um sistema de videomonitoramento que funciona 24 horas e ajuda a identificar rapidamente eventuais focos de incêndio, o que facilita o controle do fogo em seus plantios. No Espírito Santo e no sul da Bahia, há cerca de 28 torres com câmeras que enviam imagens on-line para as Centrais de Controle da empresa. Esse serviço, em algumas situações bem especificas, também pode beneficiar produtores rurais cujos plantios ficam em áreas próximas aos plantios da Fibria e que permite avisar sobre a ocorrência e alertar o proprietário.

 

MEDIDAS DE CONTROLE E PREVENÇÃO

– Evitar o uso de fogo na propriedade principalmente em períodos mais críticos, como maio a outubro

– Manter aceiros de pelo menos 6 metros de largura

– Manter os talhões limpos e livres de matocompetição

– Ter por perto ferramentas básicas de combate ao fogo (enxada, pá, foice, rastelo, bomba costal e abafador)