Mídia - Notícias

Altair4EDITADAmenor

Parceria em São Gabriel da Palha

Baixo custo de manutenção, pouca mão de obra, bom rendimento e garantia de compra pela Fibria. Esses são os atrativos que levaram o produtor Altair Malacarne a investir na silvicultura de eucalipto em suas duas propriedades no município de São Gabriel da Palha, norte do Espírito Santo. Parceiro da Fibria desde 2006, ele renovou seus dois contratos após uma bem sucedida colheita, que alcançou produtividade média de 248 m³/hectare.

 

Aposentado do Banco do Brasil, Altair tem na silvicultura sua única atividade agrícola e atua com a esposa Telma na administração da propriedade. Sua história com o eucalipto é antiga e a primeira experiência ocorreu em 1985, quando recebeu 2.000 mudas de eucalipto por meio do escritório da antiga Emater. Na época, a madeira colhida foi vendida para uma fábrica de cerâmica.

 

Posteriormente, atuava com pecuária, mas decidiu vender seu gado após um problema de saúde que difi cultou a proximidade física com o negócio. Foi então que, incentivado por seu filho, que na época trabalhava na então Aracruz Celulose, celebrou um contrato de fomento para o plantio dos primeiros 58,6 hectares em uma propriedade no Córrego Barra Seca e, depois, mais 48,66 hectares em outra propriedade no Córrego Beija-Flor. A primeira colheita ocorreu em 2012, de forma totalmente mecanizada.

 

Após a rebrota, Altair assinou novos contratos em 2013 e em junho deste ano. Ele conta que está satisfeito com a parceria. “O rendimento é muito bom e a baixa necessidade de mão de obra é um grande diferencial, já que não preciso ir ao local com frequência. Quando preciso de algum serviço, como controle de formigas, contrato a mão de obra necessária”, conta o produtor.